Como castigar um cão?

Iremos, neste artigo, responder a uma questão frequente: Como castigar um cão? Existirão técnicas ou estratégias mais eficazes?

Este tema pode ser bastante controverso e as opiniões divergem.

Os apoiantes do reforço positivo podem argumentar que o castigo nunca é solução e que existem formas positivas de obtermos o mesmo resultado.

Por outro lado outros, apoiantes de métodos “aversivos”, poderão dizer que se até agora sempre castigámos os nossos filhos e os nossos cães que isto são modernices sem fundamentos.

E agora em quem acreditamos?

Hoje em dia sabemos que o reforço positivo traz a longo prazo uma maior estabilidade no cão e na maneira como interage connosco.

É um método que permite ao cão fazer escolhas e ganhar alguma coisa com a sua escolha, desta forma ajuda-o a desenvolver a sua curiosidade natural ao mesmo tempo que aprende comportamentos que nós designamos como adequados.

E o que é, então, o reforço positivo?

Um bom exemplo pode ser quando eu chamo o meu cão, ele olha para mim e eu imediatamente recompenso com um biscoito.

Com a repetição, vai perceber que estar perto do dono e responder ao chamamento traz sempre coisas boas. A escolha do comportamento certo é recompensada com comida, brinquedos, carícias, etc.

Então e o castigo?

Ora se o nosso cão faz algo que não gostamos porque não castigar para que perceba que não o deve fazer?

Aqui reside o grande problema do castigo. O dono comum raramente consegue ser assertivo num castigo porque em cerca de 99% dos casos o timming não é o ideal.

O castigo vem sempre atrasado.
Desta forma podemos potenciar problemas alternativos em vez do corrigir os já existentes.
O melhor exemplo é quando tentamos ensinar um cachorro a fazer xixi na rua castigando-o quando faz em casa.

Quando aplicamos o castigo, muitas vezes de forma tardia, o cachorro associa o castigo ao ato de fazer xixi e não ao local onde o fez. Desta forma começa a ter medo de fazer xixi na presença do dono e mesmo após longos passeios na rua não o faz.
Os xixis aparecem em casa em recantos escondidos e atrás das portas longe do olhar do dono.

De um problema, criámos um problema ainda maior e potencialmente mais difícil de resolver.

Estudos recentes no âmbito do comportamento animal reconhecem que o castigo poderá ter lugar quando aplicado por um profissional em situações muito específicas e pontuais, no entanto o recurso ao reforço positivo tem sempre melhores resultados principalmente quando falamos de “treino doméstico”.

A não educação de um cachorro ou uma educação inadequada poderão ter repercussões graves no futuro principalmente se estivermos a falar de cães de raças grandes.

Se notar algum comportamento errático ou eventualmente não estiver a conseguir que o seu cão desempenhe algum comportamento que considere importante, procure ajude de um profissional.

 

Aconselhe-se sempre com o seu médico veterinário assistente.

Até breve!


Clínica Veterinária Oeiras – 927896112 • 211918923
Urgências 24h
geral@vetpoint-ivl.com